Buscar
  • Assessoria Tatto

HOMENAGEM AO CENTENÁRIODO “CARDEAL DA ESPERANÇA”




O cardeal-arcebispo de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, completaria 100 anos nesta terça-feira (14/09), mas seus exemplos sobrevivem e serão eternizados na história de nosso país.


Dom Paulo foi uma figura gigantesca dos direitos humanos, da cidadania e da jornada pela democracia no Brasil.


Seu jeito manso e sua abnegação por justiça salvaram muitas vidas resgatadas dos porões da ditadura militar.


Natural de Forquilhinha, que se emancipou do município de Criciúma (SC) em 1990, é o quinto entre os 13 filhos dos colonos alemães Gabriel Arns e Helena Steiner Arns, um casal de pequenos agricultores, de quem herdou a humildade e o jeito simples.


O “Cardeal da Esperança”, como era carinhosamente chamado, fez sua história junto aos moradores de rua, presos políticos, trabalhadores e movimentos sociais. Sempre acreditou na força do povo.


Também era chamado de “Cardeal dos Direitos Humanos”, principalmente por ser o fundador e líder da Comissão Justiça e Paz de São Paulo. Sua atividade política nesta área era claramente vinculada à sua fé religiosa.


Visionário, Dom Paulo renovou o plano pastoral da Arquidiocese de São Paulo, instituindo novas regiões episcopais (divisões da Arquidiocese de São Paulo) e quarenta e três novas paróquias, sempre com ações direcionadas ao povo mais sofrido das periferias.


Durante os anos de chumbo da ditadura militar, na década de 1970, notabilizou-se na luta pelo fim das torturas e pelo restabelecimento da democracia no país.


Entre 1979 e 1985, coordenou com o Pastor presbiteriano Jaime Wright, de forma clandestina, o projeto Brasil: Nunca Mais.


Esse projeto resultou no livro TORTURA NUNCA MAIS, que expôs ao Brasil e ao mundo as perseguições, torturas e mortes sofridas por brasileiras e brasileiros que lutaram contra a ditadura e por um país mais democrático e solidário.

Destaco um talento de Dom Paulo pouco conhecido de nossa gente: foi um grande escritor. É autor de 57 livros e de centenas de artigos publicados em diversas revistas.


Em 1977 recebeu o título de "Doutor Honoris Causa" (juntamente com o todo poderoso presidente norte-americano Jimmy Carter) da Universidade de Notre Dame, Indiana, Estados Unidos.


Quando exerci pela terceira vez o cargo de 1º secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, no biênio de 2029/2020, fiz tratativas para trazer à sede do Parlamento paulista a Exposição Dom Paulo Evaristo Arns, em homenagem ao seu centenário, que conta a trajetória do “Cardeal da Esperança.


Essa exposição também viajou pelo país e pelo mundo mostrando a humildade e humanidade de Dom Paulo.


Infelizmente a pandemia da Covid-19 frustrou a iniciativa e tivemos que postergá-la. Não tenho dúvidas de que ela será instalada na Alesp quando a situação se normalizar.


Encerro essa homenagem ao “Cardeal da Esperança” com uma breve passagem da biografia de Dom Paulo escrita por Evanize e Marilda Ferri (também curadoras da exposição):


"Hoje talvez a gente ainda não tenha essa noção do quanto Dom Paulo foi importante e do quanto a nossa democracia hoje deve a ele. Ele realmente é uma personalidade fundamental da Igreja no século 20, talvez o maior de todos os personagens na América Latina".


Enio Tatto

Deputado Estadual e ex-primeiro secretário

da Mesa Diretora da Alesp

1 visualização
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
  • Sem Título-2