• Instagram
  • Twitter
  • Youtube

© 2019 - Deputado Estadual Enio Tatto

Quem é Enio Tatto

Enio Francisco Tatto nasceu em 20 de maio de 1961, na cidade de Frederico Westphalen, Rio Grande do Sul. É o sétimo filho de Jácomo Tatto e Inês Fontana Tatto que com seus dez filhos formaram uma típica família de descendentes de italianos, que em 1966, migrou para o estado do Paraná para trabalhar na colheita de soja. Enio Tatto é casado com Yolanda Rocha Tatto e pai de três filhos: Karla, Carmem e Carlos.

Seus primeiros anos de vida foram de contato com a dura realidade do trabalho na agricultura, onde conheceu e viveu as privações infelizmente ainda comuns para grande parte de brasileiros.

Com sólida formação católica, junto com seus pais e irmãos mais novos, Enio migrou para São Paulo, em 1978. Ao chegar à Zona Sul da capital, onde mora até hoje, iniciou sua participação nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Igreja Católica.

Vivia-se naquela época um período de grande turbulência política e social. A luta contra a ditadura avançava e os movimentos populares e sindicais ampliavam-se com o apoio das CEBs e de outros segmentos da sociedade.

Com formação cristã e com a sensibilidade de quem viveu privações no campo e a dura vida da periferia de São Paulo, Enio engajou-se, desde sua chegada a São Paulo, nas lutas populares, participando do Movimento pela Anistia Ampla Geral e Irrestrita, do Movimento Contra a Carestia, da Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo, do Comitê Santo Dias da Silva (com quem Enio conviveu nas CEBs da Zona Sul), e na fundação, organização e construção do Partido dos Trabalhadores (PT), a partir de 1980.

Enio Tatto foi assim se revelando uma liderança por sua atuação no PT, na igreja e nos movimentos sociais. Em 2002 um coletivo de militantes do Partido dos Trabalhadores o indicou a candidato a Deputado Estadual. Na ocasião, elegeu-se com 118.233 votos. Reelegeu-se mais quatro vezes, em 2006, 2010, 2014 e 2018, sempre com expressiva votação, estando agora no exercício do seu quinto mandato.

Na Assembleia, dedica-se especialmente às áreas de educação, meio ambiente e de direitos da cidadania.

Para a educação, entre outras conquistas, propôs e liderou o movimento que resultou na instalação da FATEC em Santo Amaro, São Bernardo do Campo, Carapicuíba e Osasco. Conquistou também a implantação de campus da Universidade Federal e de São Paulo - Unifesp - em Santo Amaro, outro em Embu das Artes e mais um na Zona Leste de São Paulo.

Na área de meio ambiente, liderou a luta pela aprovação das Leis Específicas das Represas Guarapiranga e Billings, tornou lei suas propostas de incentivo à agricultura familiar e aprovou, ainda, a Lei 12.136/2005, que cria o Dia Mundial Sem Carros.

No campo da cidadania, destaca-se pela defesa dos idosos, tendo apresentado projetos de lei para a instalação de república para idosos de baixa renda em todos os municípios e para a implantação das chamadas Vila da Dignidade, programa de moradia para pessoas idosas. Crianças, adolescentes e pessoas em situação de rua também tiveram a atenção do mandato.

Tatto obteve, ainda, vitórias que levaram à melhoria da saúde, dos transportes e do atendimento judiciário na Zona da Sul da Capital, região em que reside. 

Em seus mandatos, apresentou cerca de mil projetos de lei, tendo aprovadas 43 leis.

Firme na fiscalização do Executivo, assinou pedidos de CPI, tendo integrado a da CDHU. Também é de sua iniciativa a realização, pela Assembleia, de audiências públicas regionais para debater com a sociedade o Orçamento do Estado. Sempre atuante, conseguiu a aprovação e liberação de emendas orçamentárias para beneficiar um grande número de municípios paulistas com obras de infraestrutura e de implantação de equipamentos públicos.

É um dos autores da Proposta de Emenda Constitucional )PEC) que institui no Estado de São Paulo o Orçamento Impositivo (obrigatório na destinação de recursos).

 

Enio Tatto foi duas vezes líder da Bancada do PT, duas vezes líder da Minoria e membro titular das Comissões Transportes e Comunicações; de Finanças, Orçamento e Planejamento; de Assuntos Metropolitanos e Municipais; de Assuntos Desportivos e também da Comissão de Constituição, Justiça e Redação.

Atualmente é o 1º secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. É a terceira vez que ocupa cargo, feito não alcançado por nenhum outro deputado na história do Parlamento paulista.

1/1