Buscar
  • Assessoria

PAPA RECONHECE MILAGRE E VAI BEATIFICAR PADRE BRASILEIRO DONIZETTI TAVARES DE LIMA

Pontífice também reconheceu as 'virtudes heroicas' de Frei Damião e de Nelsinho Santana, que passam a ser 'veneráveis'


Escultura de Frei Damião, considerado 'venerável' pela Igreja Católica Foto: José Patriício/Estadão

O padre Donizetti nasceu em 3 de janeiro de 1882 em Cássia (MG). Durante o sacerdócio, realizou diversas obras sociais em Tambaú, município do interior de São Paulo, onde viveu por 35 anos e morreu em 16 de junho de 1961. 

Dentre os trabalhos sociais que realizou, estão a fundação do Asilo São Vicente de Paulo e da Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Tambaú. Criou também a Congregação Mariana, a Irmandade das Filhas de Maria e o Círculo Operário Tambauense.


Segundo o Vaticano, o padre era devoto de Nossa Senhora Aparecida e, em vida, já seria ligado a "sinais milagrosos". "Exerceu seu sacerdócio como Jesus, a serviço dos pobres, dos marginalizados e doentes. Viveu de maneira simples e humilde, sempre à disposição do povo", diz texto divulgado pela Secretaria para a Comunicação da Santa Sé.


Também reconhecido pelo papa, Frei Damião nasceu em Bozzano, na Itália, em 5 de novembro de 1898, e morreu no Recife, em 31 de maio de 1997. Ele foi da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. O frade chegou ao Brasil em 1931, onde se dedicou "às populações mais pobres do país e às Santas Missões", diz o Vaticano. 

Já Nelsinho Santana nasceu em Ibitinga, também no interior paulista, em 31 de julho de 1955. Ele morreu em Araraquara (SP) em 24 de dezembro de 1964, aos 9 anos, em decorrência de um câncer no braço.


De acordo com o Vaticano, o menino "praticamente morou" no hospital entre os 7 e 9 anos, onde fez a primeira comunhão. Naquele período, chegou a ter o braço esquerdo amputado.


"Ele mesmo anunciou a sua morte previamente. O lugar onde Nelsinho foi enterrado, com o passar do tempo, tornou-se alvo de muitas visitas por graças alcanças atribuídas a ele", afirma texto da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé.

Além dos brasileiros, o papa reconheceu outros cinco "veneráveis". São eles: sacerdote italiano Carlo Cavina, morto em 1880; Raffaele de Sant’Elia a Pianisi, sacerdote italiano falecido em 1901; Vittorino Nymphas Arnaud Pagés, nascido na França e ligado ao Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs; Consolata Betrone, monja italiana morta em 1946; e Gaetana Tolomeo, italiana morta em 1997.


Fonte: Redação, O Estado de S.Paulo

https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,papa-reconhece-milagre-e-vai-beatificar-padre-brasileiro-donizetti-tavares-de-lima,70002783482?fbclid=IwAR0D7EScEanE103cUvsSd-xOicM1h572hkqD9AXAYQonKdwOvtlZyrJrQss

0 visualização

© 2020 - Deputado Estadual Enio Tatto